sexta-feira, 4 de junho de 2010

Quer tomar um café?

Outro dia eu estava lendo uma matéria a respeito do bate-papo e realmente percebi: as pessoas não dão mais tanto valor a estas experiências.

Ontem conversei com uma amiga sobre isso, que compartilha de meus sentimentos. Ai resolvi compartilhar meus pensamentos aqui também.

Já pararam para pensar que andamos falando muito e conversando menos? Como dizia nessa mesta matéria que eu citei, os meios de comunicação atuais melhoram o contato, mas tiram a qualidade de uma boa conversa. Nossas relações estão desgastadas, estamos perdendo a interação, o entendimento. Mesmo trabalhando perto das pessoas e vivendo com nossas famílias, não temos mais o hábito de sentar e conversar como tinhamos antes. Eu mesmo confesso que já cheguei a conversar via web com pessoas que estavam sentadas ao meu lado (aliás, conheci meu namorado assim, ainda bem que a gente partiu pro velho e conhecido bate-papo rs).

Nossa qualidade de vida depende muito das pessoas ao nosso redor, e a experiência do diálogo inlfluencia de uma maneira significativa essa qualidade.

"A tecnologia favorece o contato, mas empobrece a experiência do diálogo"

O diálogo é um composto de muitos fatores. A fala, os gestos, as expressões, e, claro, a experiência. Ela envolve o contato, as expressões corporais. É muito mais que somente palavras.

Nada como sentar em uma mesa de bar com amigos e bater um bom papo tomando uma cerveja ou um drink. Ou ainda tomar um café com alguém querido. Ou um almoço em família, onde todos contam sobre sua semana ou seu dia sem pressa, só sentindo o momento. Ou, também, conhecer pessoas novas e estabelecer relações amigáveis com elas com uma boa conversa para conhecê-las melhor.

Nada paga estas experiências. Os meios de comunicação evoluem, e com isso acostumamos a escrever no automático, a falar rápido, a não prestar atenção nas pessoas e ao seu redor. Temos que nos acostumar com eles e jamais perder este "feeling" nas coisas boas, nas coisas que devem prevalecer mesmo com a evolução da tecnologia e com a correria do dia-a-dia. Não devemos perder o gosto pelas coisas boas da vida, pelo contato, pelo bom bate-papo.

Além disso tudo, existe um empecilho para os bons contatos: a sociedade parece que se acostumou a não confiar nas pessoas, a achar que toda forma de contato tem um fundo de interesse, de falsidade. Existem sim muitas pessoas assim, e devemos tomar cuidado, mas devemos ter em mente que ainda existem pessoas de bem e agradáveis que querem compartilhar idéias e querem sim, ter uma boa conversa, assim como você.

Não se reprima. A amizade faz parte do ser humano, assim como o amor. Ninguém vive sozinho, então aproveite esta capacidade de ser humano que você tem e saia por ai conversando e conhecendo pessoas, fazendo amigos, e mantendo aqueles que você tem. Com certeza você vai ganhar experiências maravilhosas e vai ver que o mundo não é assim, tão horrível.

"O antídoto à aridez está dentro da gente: basta abrir a cabeça e sair por aí conversando"

Bibliografia: Revista Vida Simples edição 92 Maio 2010 - pgn 20
leia a matéria: http://vidasimples.abril.com.br/edicoes/092/grandes_temas/conteudo_552962.shtml

2 comentários:

CHADO^^ disse...

bem do meu ponto de vista sobre esse post é que as pessoas conversam menos dependendo do tempo que tem entre outros fatores, tipo no meu caso sempre quando volto pra casa da minha mãe encontro meus amigos e ficamos horas conversando, aquelas conversas de botar tudo em dia ai quando olhamos no relógio são quase 5 da madrugada do outro dia, antigamente eu era tímido agora eu converso e conheço pessoas que me agradam. claro ninguém é de ferro rs

Jéssica disse...

Realmente, hoje, no escritório onde eu trabalho, todos usam o MSN e conversamos com as pessoas que estão na mesa do lado. Apesar de ser antenada com as modernidades, sou totalmente a favor de uma boa conversa pessoalmente, tomando um café ou outra bebida qualquer.

Postar um comentário